Reinserir - Projeto de integração Local para reinserção social do usuário de drogas
Reinserir - Projeto de integração Local para reinserção social do usuário de drogas

Tel: (61) 2101-6607

E-mail: projeto.reinserir@cnm.org.br

Aproximadamente 5% da população mundial consumiu droga em 2015; mais de 190 mil morreram

Espalhe esse conteúdo:

Facebook Twitter Google+
Quinta, 22 de junho de 2017.

Pag 12 13 cracolandia Foto Gov SPCerca de 5% da população mundial consumiu algum tipo de droga em 2015. O percentual representa aproximadamente 250 milhões de pessoas. E pelo menos 190 mil morreram prematuramente neste mesmo ano por causas diretas relacionadas ao uso de entorpecentes. Os dados constam do Relatório Mundial sobre Drogas, divulgado nesta quinta-feira, 22 de junho, em Viena, pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Segundo o levantamento, 29,5 milhões de pessoas sofrem com transtornos graves pelo consumo de drogas, incluída a toxicodependência. Apesar disso, apenas uma em cada seis pessoas que necessita de tratamento por estes transtornos recebe assistência. A maioria dessas pessoas se encontram em países desenvolvidos.

A ONU também alertou que o mercado das drogas está se diversificando com o surgimento de substâncias mais potentes e perigosas. “Aumentou a situação de risco para a saúde pela diversificação e a potência de novas substâncias”, explicou em uma coletiva de imprensa Angela Me, coordenadora do relatório. Como exemplo, ela citou o analgésico fentanil, que causou numerosas overdoses nos Estados Unidos nos últimos anos.

Entre as drogas mais consumidas, a maconha se destaca. Foram 183 milhões de usuários em 2015. No entanto, os opioides, como a heroína, são ainda as substâncias mais nocivas e as que causam mais mortes. “O consumo de opioides está associado ao risco de overdose fatais e não fatais, ao risco de contrair doenças infecciosas (como HIV e hepatite C) devido à prática perigosa de consumo de drogas por injeção”, aponta o relatório.

Sobre esses usuários, a ONU alerta que "uma de cada oito (1,6 milhões) está vivendo com HIV e mais da metade (6,1 milhões) com hepatite C, enquanto cerca de 1,3 milhão sofrem tanto com hepatite C como com HIV". Aproximadamente 12 milhões de pessoas se injetam com opioides como a heroína, 17 milhões usam cocaína. Os usuários de ecstasy são 21,6 milhões, enquanto os de anfetaminas são calculadas em 37.

Agência CNM, com informações da Agência Brasil